25.01.2018

CURRÍCULO X PORTFÓLIO

As novas tecnologias têm afetado e transformado o modo como se vive hoje em vários aspectos. Então, uma proposta que faço neste post é que você pense comigo como essas transformações têm afetado as carreiras profissionais, em uma perspectiva comparativa que pode gerar ricas discussões:

Vida Acadêmica versus a Experiência Profissional ou Currículo versus Portfólio.


VIDA ACADÊMICA | CURRÍCULO

No mundo acadêmico, onde grandes descobertas já foram feitas, muitas pesquisas se converteram em benefícios para a sociedade e muitas tecnologias transformadoras surgiram, todos esses resultados foram possíveis em função de um elemento básico: aplicação prática.

No entanto, quando nos deparamos com a realidade acadêmica, principalmente em cursos com uma visão muito tradicional, como por exemplo nas áreas da biociências, o cenário que ainda prevalece é outro. Uma supervalorização da produção de artigos e patentes, independente da sua aplicação prática, associado a uma visão “pre-conceituosa” que a pesquisa não pode chegar até o mercado ou gerar receita. Muitas vezes isso acontece pela distância entre a universidade e o mercado, pelo modelo do nosso sistema de ensino e reconhecimento acadêmico e pela ausência de disciplinas, projetos e iniciativas que fomentem o mindset empreendedor.

 E o que dizer quanto aos estudantes, professores e pesquisadores que vivem esta realidade? Comumente, sem experiência de mercado ou portfólio profissional de projetos, eles têm como única opção a carreira acadêmica. Esta situação deixa os mais inquietos bem insatisfeitos. E se você é um destes inquietos, está buscando construir o seu portfólio e ir além do Currículo Lattes, compartilho a seguir, que poderão te ajudar a TER UM PORTFÓLIO, E IR MUITO ALÉM DE UM CURRÍCULO!

1)      Participe de iniciativas que fomentam o empreendedorismo, inovação e startups.

Participar de iniciativas e conviver nesses ambientes de empreendedorismo, inovação e startups, promovem por si só uma experiência capaz de impulsionar o seu portfólio. Seja com o objetivo de seguir uma carreira acadêmica ou buscar oportunidades no mercado. Para isso, hoje temos muitas iniciativas, sendo algumas delas eventos de imersão e competições de negócios, como Startup Weekend, iniciativa da Techstars que tem o perfil mais generalista, ou o Biomaker Battle, iniciativa da Biominas Brasil, que tem como objetivo promover uma imersão empreendedora a pesquisadores, estudantes e professores das áreas de biociências.

Algumas universidades também desenvolvem seus próprios projetos de empreendedorismo ou se vinculam a outras iniciativas como por exemplo, o Empreenda em Ação, que além de promover o empreendedorismo nas universidades, cria uma rede de universidades empreendedoras.

Além destas iniciativas que são adequadas para sensibilização e experimentação da mentalidade empreendedora, outros projetos ajudam a seguir esta trajetória. Estão entre eles, o Startup Farm, uma das primeiras iniciativas do ecossistema nacional, que promove programas de pré-aceleração e aceleração para startups em segmentos variados.

Já com foco nas áreas de Ciências da Vida, de coordenação da Biominas, temos o BioStartup Lab, cujo público alvo se enquadra neste perfil acadêmico, proveniente dos cursos como Biotecnologia, Engenharia de Bioprocessos, Medicina, Farmácia, Engenharia Ambiental, Veterinária entre outros nas áreas de saúde, meio ambiente e agronegócios. Veja aqui, alguns cases.

2)      Organize iniciativas e eventos na sua universidade.

A organização de iniciativas e eventos, como Empresa Junior, competições de negócios, ou até mesmo estruturas de empreendedorismo, como incubadora, programas próprios de pré-aceleração, ou programas mais amplos de empreendedorismo representam uma grande oportunidade para compor o seu portfólio.

Uma iniciativa de destaque com resultados muito positivos é o CEU – Centro de Empreendedorismo da Unifei, em Itajubá, que desde 2010 vem fomentando o empreendedorismo na Universidade e região. Com proposta semelhante, ainda no ecossistema mineiro, existe o oCEANo – Centro de Aceleração e Negócio do UNIPAM, que desde sua recente abertura em 2017, já promoveu muitos eventos e atividades para fomentar o empreendedorismo e promover o surgimento de startups na região.

Estes são exemplos de iniciativas em estágio mais avançado, mas para começar, você pode organizar eventos de um ou dois dias, como por exemplo, o Startup Weekend, que mencionei acima, ou em caso de nichos específicos de perfil mais acadêmico que estamos abordando neste post, você também pode ser um organizador do Biomaker Battle. (Se tem o interesse, basta clicar aqui. )

3)      Se junte com quem compartilha do mesmo propósito que você

Uma comunidade empreendedora forte costuma crescer de forma orgânica, quando pessoas compartilham do mesmo propósito de disseminar o empreendedorismo e inovação.

Você pode participar de meetups ou até mesmo organizar um para encontrar e se conectar a essas pessoas. Para isso, existem ferramentas mais conhecidas como grupos de facebook e outras redes sociais. Mas hoje existem disponíveis também ferramentas específicas para conectar pessoas que tem o mesmo interesse, como por exemplo a plataforma Meetup, onde você pode fazer o seu grupo e convidar as pessoas para participar.

4)      Coloque tudo no seu Linkedin – Sim! Se ainda não tem corre lá e faz!

Todas essas pequenas mudanças de comportamento, hábitos e principalmente de atitude, pode gerar efeitos multiplicadores na sua vida acadêmica e principalmente profissional. A quantidade de pessoas novas que você conhece neste ambiente, a troca de conhecimento e aprendizados, o compartilhamento de informações e oportunidades são alguns desses efeitos. Então, articule e organize esta rede online, saiba se posicionar. Nada melhor que uma rede profissional para isso. Por isso, se ainda não tem, faça o seu Linkedin! Mas lembre-se que se trata de uma rede profissional, então use a ferramenta com este objetivo.

Use o Linkedin para mostrar o que você faz. Faça o seu portfólio!

Utilize as ferramentas, suas redes e o conhecimento adquirido para retroalimentar este ecossistema e para buscar oportunidades de carreira profissional com horizontes ampliados.

Afinal, “A mente que se abre a uma nova ideia, jamais volta ao seu tamanho original.” Albert Einstein.


Por:
Liliane Carvalho | Coordenadora de Empreendedorismo da Biominas Brasil

Profissional da área de empreendedorismo, com 10 anos de experiência em gestão dos projetos sociais e de inovação.